domingo, maio 9, 2021
Home Política Tribunal Misto do Rio aprova o impeachment de Witzel

Tribunal Misto do Rio aprova o impeachment de Witzel

Com os sete votos necessários já alcançados, o Tribunal Especial Misto (TEM) do Rio de Janeiro aprovou, nesta sexta-feira, 30, o impeachment do governador afastado Wilson Witzel (PSC) – resta definir por quantos anos o ex-juiz ficará inelegível. Com isso, Witzel perde definitivamente o cargo e o governador em exercício Cláudio Castro (PSC) assume oficialmente o Palácio Guanabara. O processo foi iniciado em junho do ano passado, quando a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) decidiu, por unanimidade, dar prosseguimento ao caso. O pedido foi elaborado pelos deputados estaduais Luiz Paulo (Cidadania) e Lucinha (PSDB), que acusaram o governante de crimes de responsabilidade, incluindo suspeitas de superfaturamento na compra de respiradores para pacientes com coronavírus e construção de hospitais de campanha.

Até o momento, votaram favoravelmente à destituição os deputados estaduais Waldeck Carneiro (PT), relator do caso, Carlos Macedo (Republicanos), Chico Machado (PSD) e Alexandre Freitas (Novo), e os desembargadores Fernando Foch, Maldonado de Carvalho e Tereza Castro Neves – o Tribunal Misto é formado por cinco parlamentares e cinco magistrados. Já com a sessão iniciada, Witzel foi ao Twitter afirmar que não desistiria “jamais do cargo a que fui eleito”. “Não desistirei jamais do cargo a que fui eleito. Espero um julgamento justo e técnico. As alegações finais do deputado Luiz Paulo são desprovidas de prova e demonstram toda sua frustração por seu grupo ter sido derrotado nas eleições, diga-se o grupo do Cabral e Picciani”, diz a publicação. Ao longo da sessão, o agora ex-governador fez diversas críticas aos votos proferidos. “Irresponsável o voto do Relator, num julgamento rancoroso e político de oposição da pior espécie, sem respaldo na realidade, concluiu pela minha omissão objetiva no controle da pandemia. Surreal, porque fui o primeiro a tomar as medidas restritivas”, disse sobre o voto de Carneiro.

Witzel foi afastado por 180 dias do cargo em agosto de 2020, acusado pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de capitais, por decisão do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Os fatos não só são contemporâneos como estão ocorrendo e, revelando especial gravidade e reprovabilidade, a abalar severamente a ordem pública, o grupo criminoso agiu e continua agindo, desviando e lavando recursos em pleno pandemia da Covid-19, sacrificando a saúde e mesmo a vida de milhares de pessoas, em total desprezo com o senso mínimo de humanidade e dignidade, tornando inafastável a prisão preventiva como único remédio suficiente para fazer cessar a sangria dos cofres públicos, arrefecendo a orquestrada atuação da ORCRIM”, escreveu o magistrado à época.

Em fevereiro deste ano, por unanimidade, Witzel se tornou réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro – dos 15 desembargadores que compõem a Corte Especial do STJ, 13 votaram pelo recebimento da denúncia; dois se declararam impedidos. Na ocasião, o colegiado também prorrogou o afastamento do governador eleito em 2018 por mais um ano.

- Advertisment -

Most Popular

Bruno Covas posa do hospital e diz ‘não baixar a cabeça’ na luta contra o câncer

Prefeito licenciado da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) usou as redes sociais para postar uma foto sua no Hospital Sírio Libanês, onde...

PSB pede que Fachin intime governador do Rio por operação no Jacarezinho

O Partido Socialista Brasileira (PSB) pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin que intime o governador do Rio de Janeiro, Cláudio...

‘Gabinete paralelo’, negociação com a Pfizer e atuação da Anvisa: os próximos passos da CPI da Covid-19

Quem acompanhou a primeira semana de depoimentos à CPI da Covid-19 pôde perceber que a prescrição de cloroquina, ivermectina e outros remédios comprovadamente ineficazes...

Após ser vacinado com a CoronaVac, Doria comemora: ‘O detalhe, de calça apertada’

Aos 63 anos, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi vacinado contra a Covid-19 em uma unidade pública de saúde em Pinheiros,...