domingo, maio 9, 2021
Home Política Senado adia votação de projeto que cancela decretos de armas e munições

Senado adia votação de projeto que cancela decretos de armas e munições

O Senado Federal adiou a votação de um projeto que cancela quatro decretos do presidente Jair Bolsonaro ampliando o acesso a armas e munições. Apesar da pressão para uma decisão ainda nesta quinta-feira, 8, o relator Marcos do Val, favorável ao uso, argumentou não ter tido tempo suficiente para elaborar o parecer. “Como senador da República, tenho as minhas responsabilidades, sei das consequências e dos atos que a gente faz e das responsabilidades de um projeto de lei que não deve seguir o populismo, deve seguir questões técnicas, os estudos a qual há 20 anos me dedico. Não são armas que matam pessoas, são pessoas que matam pessoas.”

A oposição protestou, dizendo que o adiamento é uma forma de garantir que os decretos entrem em vigor já na semana que vem. A senadora Eliziane Gama chegou a apresentar um relatório alternativo favorável à suspensão, que acabou rejeitado. “O presidente da República muda o Estatuto do Desarmamento ao ampliar a quantidade de armas, ao tornar os clubes de tiro, por exemplo, mais fortes e mais potentes do que alguns órgãos de segurança pública em várias cidades brasileiras. O presidente da república faz toda uma mudança na legislação com o pretexto de ser uma regulamentação”, disse. Entre as principais mudanças da proposta está o aumento do número máximo de armas que cada usuário pode ter e da quantidade de munição que pode ser comprada por ano. Ainda não há uma nova data para o projeto ser votado no Senado. Depois, o texto ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados.

*Com informações da repórter Letícia Santini

 

- Advertisment -

Most Popular

Bruno Covas posa do hospital e diz ‘não baixar a cabeça’ na luta contra o câncer

Prefeito licenciado da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) usou as redes sociais para postar uma foto sua no Hospital Sírio Libanês, onde...

PSB pede que Fachin intime governador do Rio por operação no Jacarezinho

O Partido Socialista Brasileira (PSB) pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin que intime o governador do Rio de Janeiro, Cláudio...

‘Gabinete paralelo’, negociação com a Pfizer e atuação da Anvisa: os próximos passos da CPI da Covid-19

Quem acompanhou a primeira semana de depoimentos à CPI da Covid-19 pôde perceber que a prescrição de cloroquina, ivermectina e outros remédios comprovadamente ineficazes...

Após ser vacinado com a CoronaVac, Doria comemora: ‘O detalhe, de calça apertada’

Aos 63 anos, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi vacinado contra a Covid-19 em uma unidade pública de saúde em Pinheiros,...