segunda-feira, abril 12, 2021
Home Política ‘Se houver polarização entre Lula e Bolsonaro, o caminho é o aeroporto’,...

‘Se houver polarização entre Lula e Bolsonaro, o caminho é o aeroporto’, diz Joice Hasselmann

A deputada federal Joice Hasselmann afirmou temer tanto o ex-presidente Lula quanto o atual presidente Jair Bolsonaro. De acordo com ela, caso a polarização entre os dois políticos se estenda para as próximas eleições, o melhor caminho é sair do Brasil “Eu temo duas coisas: eu temo Lula e eu temo Bolsonaro. O melhor caminho, se houver essa polarização, é o passaporte e o aeroporto. Eu vou embora”, destacou. Ela adiantou que está criando um Plano Brasil com o auxílio de ex-ministros do governo Itamar Franco, FHC e Bolsonaro para recuperar o país nos próximos 20 anos

Em entrevista ao Morning Show, da Jovem Pan, ela detalhou que este documento tem recortes de quatro em quatro anos — tempo do mandato presidencial. “Quando tivermos um candidato, daremos o plano prontinho. Próximo do que fiz com Bolsonaro, feito por mentes brilhantes dia após dia.” Joice Hasselmann disse que conversa com o PSDB, DEM, MDB e Cidadania em busca de montar uma frente democrática como “terceira via” para quem não quer nem Lula e nem Bolsonaro. “Não sei se o PSL entra, porque ele é biruta de aeroporto. Uma hora está com Bolsonaro, outra não”, alfinetou.

A intenção é que, dessas conversas, saiam nomes para presidente e vice. “Não interessa quem seja: João Doria, Eduardo Leite, Rodrigo Pacheco, Mandetta. Tanto faz. O que interessa é que eles estejam juntos para somar força e tenham um plano para o Brasil.” Joice Hasselmann afirmou que já conversou com o governador de São Paulo, com ACM Neto e Baleia Rossi — todos foram receptivos. “A gente precisa de uma pessoa honesta e qualificada, que tenha forças para aguentar o pós-guerra depois da Covid-19.” A deputada federal ainda fez críticas ao presidente Bolsonaro e a sua família.

Críticas a Bolsonaro

“Eu jurei lealdade a uma bandeira anticorrupção, a luta pela Lava Jato, que bandido é bandido e não interessa se é amigo ou inimigo. Jurei lealdade para o crime por corrupção fosse inafiançável. Jurei lealdade a um pacote anticorrupção, ao povo brasileiro. Não jurei lealdade a uma pessoa, jurei a uma bandeira. E ela continua, sigo exatamente onde estou. Bolsonaro não, ele é uma fraude. O filho dele acabou de comprar uma mansão de R$ 6 milhões, nem o Lula fez isso. Nem o tríplex do Lula custa isso”, disse se referindo ao imóvel de Flávio Bolsonaro.

“Ele foi policia, ganhava menos que senador. Foi deputado, ganhava menos que senador. Sustenta uma mulher, duas filhas em escola particular. Vamos supor que ele ganhava o teto, porque ele não ganha: R$ 30 mil. Como é que alguém para R$ 10 mil de escola, empregada, comida? A família Bolsonaro inteira é uma quadrilha de ladrões. Todos roubam. Alguns são ladrões de galinha, outros mais sofisticados. Se não fossem, eu ainda estaria trabalhando ao lado deles pelo Brasil”, finalizou.

De acordo com Joice, ela apoiou Jair Bolsonaro porque acreditava que ele representava uma mudança. “Todos nós estávamos entorpecidos com aquele desejo de tirar o PT do poder depois do que fizeram pelo país. Talvez se nós tivéssemos apoiado João Amoedo teríamos uma outra história hoje. Mas eu não via vontade de ganhar nele. O Bolsonaro, naquele momento, representada mudança. Você acha que eu não sabia que ele era limitado? Claro que eu sabia. Mas quando você é honesto, o resto a gente resolve. Mas ele começou a ficar grande na cadeira, começou a achar que sabia mais que todo mundo. E deu no que deu. “

- Advertisment -

Most Popular

Lamento os superpoderes que o STF deu a governadores e prefeitos, diz Bolsonaro

Em visita a venezuelanos na cidade de São Sebastião, no Distrito Federal, neste sábado, 10, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a decisão...

Barroso diz que consultou colegas do STF antes de mandar Senado instalar CPI da Covid-19

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) disse que consultou todos os ministros da Corte antes de determinar a instalação da...

As aventuras (ou farsas?) do Capitão de Longo Curso, de Jorge Amado (contém spoiler)

Os Velhos Marinheiros ou o Capitão de Longo Curso é um romance escrito por Jorge Amado, afirma Rafael Libman, leitor ávido e...

Ao lado de Bolsonaro, chefe do Estado-Maior do Exército diz que ‘espada não tem partido’

Na primeira solenidade militar realizada depois da troca dos comandos das três Forças Armadas, o presidente Jair Bolsonaro ouviu do chefe do Estado-Maior do...