domingo, maio 9, 2021
Home Política Quebra de patente pode trazer grave problema para vacinação no Brasil, diz...

Quebra de patente pode trazer grave problema para vacinação no Brasil, diz Marcelo Ramos

O Senado Federal aprovou no dia 29 de abril a quebra de patente de vacinas contra a Covi-19. Por 55 votos a 19, os parlamentares deram aval para a licença compulsória dos compostos farmacêuticos. No entanto, antes da sanção presidencial, o texto, que sofreu alterações, deve passar pela análise e votação na Câmara dos Deputados, onde pode resistências. Na avaliação do deputado federal Marcelo Ramos, a proposta é um “equívoco” que pode trazer sérias consequências para a vacinação no Brasil. “Não há pedido de patente de IFA no Brasil. Se você quebrar, vai criar um problema com o detentor da patente que pode retaliar e não tem quem possa produzir [o insumo no país]. Ainda que tenha pedido do IFA, precisa de um tempo para montar as plantas industriais, de treinar as pessoas para isso, de produzir e distribuir. O Brasil não tem esse tempo a esperar. É um equívoco, nesse momento, debater  a quebra da patente, não temos nada para substituir o atual IFA importado”, afirmou o parlamentar nesta segunda-feira, 3, durante entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

O IFA mencionado pelo vice-presidente da Câmara se refere ao ingrediente farmacêutico ativo (IFA) usado para a produção das vacinas. Atualmente, o Brasil não tem a produção do composto, tendo como principal fornecedor a China. A Fiocruz e do Instituto Butantan planejam iniciar a fabricação nacional nos próximos, mas, segundo Marcelo Ramos, a indústria farmacêutica brasileira não vê possibilidade de viabilizar a produção nesse momento, tornando a quebra de patente ineficaz. “A indústria farmacêutica brasileira diz que não tem condições de fazer imediatamente a produção do IFA. Como vamos quebrar a patente sem ter como produzir e podendo ter como efeito a paralisação da vendas? Há boa intenção, mas ela não está conectada com a realidade. Ela pode com a sua boa intenção causar um grave problema pra o processo de vacinação no país”, disse, reforçando as possíveis consequências da decisão. “Não posso dizer que acontecerá, mas posso alertar que o risco é enorme dos chineses suspenderem a venda de IFA, porque eles são os detentores da patente.”

De maneira simplificada, quebrar a patente de composto, medicamento ou insumo farmacêutico significa retirar “o direito de propriedade da marca de um determinado produto”. No entanto, a proposta é tema de amplo debate e vista, por parte da sociedade, como um desrespeito à propriedade intelectual. “Entendo que estão ansiosos pela vacinação, mas temos que ter cuidado e responsabilidade. Vamos ouvir a indústria farmacêutica. Eles publicaram uma nota afirmando que não têm como produzir o IFA. Se a indústria não tem condições, vai quebrar patente para quem produzir? Isso não é um shampoo que se compra na esquina. Estamos falando de altos custos de vacina. Vamos quebrar patente para quem produzir? Hoje, segundo a indústria, para ninguém produzir.”

- Advertisment -

Most Popular

Bruno Covas posa do hospital e diz ‘não baixar a cabeça’ na luta contra o câncer

Prefeito licenciado da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) usou as redes sociais para postar uma foto sua no Hospital Sírio Libanês, onde...

PSB pede que Fachin intime governador do Rio por operação no Jacarezinho

O Partido Socialista Brasileira (PSB) pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin que intime o governador do Rio de Janeiro, Cláudio...

‘Gabinete paralelo’, negociação com a Pfizer e atuação da Anvisa: os próximos passos da CPI da Covid-19

Quem acompanhou a primeira semana de depoimentos à CPI da Covid-19 pôde perceber que a prescrição de cloroquina, ivermectina e outros remédios comprovadamente ineficazes...

Após ser vacinado com a CoronaVac, Doria comemora: ‘O detalhe, de calça apertada’

Aos 63 anos, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi vacinado contra a Covid-19 em uma unidade pública de saúde em Pinheiros,...