terça-feira, junho 15, 2021
Home Política ‘Não vamos subir em cadáveres para fazer política’, diz Guedes na Câmara

‘Não vamos subir em cadáveres para fazer política’, diz Guedes na Câmara

A sessão que ouviu o ministro da Economia nesta terça-feira, 4, começou turbulenta. Paulo Guedes foi convidado para falar na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle. No entanto, o titular da pasta apareceu em uma sessão conjunta de quatro comissões. Em um discurso de trinta minutos, ele pediu que não subam em cadávares para fazer política, e disse que é preciso colocar a vida em primeiro lugar. A declaração foi dada enquanto, na outra casa, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta era ouvido por senadores na CPI da Covid-19. Guedes afirmou que não faltarão recursos para a área da saúde, e que foram retomados os protocolos implementados no ano passado, como auxílio emergencial e o BEm, e que o governo pretende relançar o Pronampe. Os programas, no entanto, têm volumes menores do que os de 2020. “Não vamos subir em cadáveres para fazer política. Estamos em uma guerra contra o vírus e precisamos botar a vida em primeiro lugar. Toda ideia nossa de governo, pelo menos daqui olhando para frente, se perguntar o que vamos fazer esse ano, saúde emprego e renda.

Saúde porque a vacinação em massa é grande desafio, emprego porque descobrimos que tínhamos 38 milhões de brasileiros subempregados. E renda é por uma lado empregos e por outro a recomposição dos programas sociais”, afirmou. Depois de dizer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu favorecer 40 milhões de brasileiros com o Bolsa Família, Guedes ressaltou que o auxílio emergencial foi uma iniciativa da equipe econômica do governo, não do Congresso. “Quando bateu a pandemia, imediatamente desenhamos isso. Isso foi desenhado na minha mesa, na minha equipe. Foi mandato para o Congresso e o Congresso melhorou, aumentou o valor”, disse. Segundo o ministro, a economia formal já voltou e todos os índices de atividade estão vindo o dobro do esperado. Paulo Guedes ressaltou ainda que o Brasil é o único país do mundo a aprovar reformas estruturantes em meio à crise.

*Com informações da repórter Nicole Fusco

- Advertisment -

Most Popular

Na CPI da Covid-19, Campêlo contradiz Pazuello sobre crise de oxigênio no Amazonas

Em seu depoimento à CPI da Covid-19, nesta terça-feira, 15, o ex-secretário de Saúde do Amazonas Marcellus Campêlo afirmou, em mais de uma ocasião,...

Com definição sobre modelo de prévias, PSDB dificulta candidatura de Doria à Presidência

A Executiva Nacional do PSDB definiu nesta terça-feira, 15, as regras para as prévias do partido. Durante as prévias, as siglas organizam uma eleição...

‘Duvido que os brasileiros votem no PT, Bolsonaro é o favorito para 2022’, diz ministro Fábio Faria

Chefe do Ministério das Comunicações, o ministro Fábio Faria afirmou durante participação no programa Pânico, da Jovem Pan, nesta terça-feira, 15, que já está...

Presidente do TCU pede para a PF investigar auditor afastado por relatório falso

A presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministra Ana Arraes, pediu à Polícia Federal, na segunda-feira, 14, que seja aberto um inquérito...