domingo, maio 9, 2021
Home Política Governador do Amazonas é denunciado por desviar verbas em compras de respiradores

Governador do Amazonas é denunciado por desviar verbas em compras de respiradores

Nesta segunda-feira, 26, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), o vice-governador, Carlos Almeida (PTB) e outras autoridades foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) por crimes relacionados a compras de respiradores para pacientes de Covid-19. Entre os demais denunciados, estão o secretário chefe da Casa Civil do estado, Flávio Antony Filho, o ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias, servidores públicos e empresários – que somam mais 14 pessoas acusadas. A investigação, iniciada assim que foi noticiada a compra de 28 aparelhos em uma loja de vinhos no último ano, já teve três fases de medidas como busca e apreensão autorizadas pelo ministro Francisco Falcão, relator do caso no STJ. A denúncia se baseia em uma série de documentos, depoimentos e trocas de mensagem entre os investigados, apreendidas nas operações realizadas pela PGR. O órgão pede a condenação dos denunciados, a perda do cargo pelos servidores públicos e o pagamento de indenização no valor de R$ 2.198.419,88.

A denúncia acusa o governador de exercer o comando de uma organização criminosa voltada à prática de crimes diversos, sobretudo aos de dispensa indevida de licitação, fraude à licitação e peculato. A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, que assina a denúncia, define que “sob o comando de Lima, instalou-se na estrutura burocrática do governo do Amazonas, uma verdadeira organização criminosa que tinha por propósito a prática de crimes contra a Administração Pública, especialmente a partir do direcionamento de contratações de insumos para enfrentamento da pandemia, sendo certo que, em pelo menos uma aquisição, o intento se concretizou”.

No caso do peculato, os denunciados são acusados de desviar, em benefício dos integrantes da organização criminosa, valores de que tinham a posse em razão dos cargos públicos ocupados, causando prejuízo de, ao menos, R$ 2.198.419,88. O governador e um servidor também são acusados de embaraçar as investigações da organização criminosa por meio da adulteração de documentos.  Foi ainda apresentada ao STJ uma segunda denúncia contra Wilson Lima e três servidores – incluindo o ex-secretário de Saúde –, acusados de peculato em proveito de duas empresas específicas e seus sócios, devido ao fretamento indevido de aeronave para o transporte de respiradores. Nesse caso, a PGR pede que os servidores públicos sejam condenados à perda de seus cargos e, juntamente com o governador, ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 191.852,80, equivalente ao prejuízo estimado ao erário.

- Advertisment -

Most Popular

Bruno Covas posa do hospital e diz ‘não baixar a cabeça’ na luta contra o câncer

Prefeito licenciado da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) usou as redes sociais para postar uma foto sua no Hospital Sírio Libanês, onde...

PSB pede que Fachin intime governador do Rio por operação no Jacarezinho

O Partido Socialista Brasileira (PSB) pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin que intime o governador do Rio de Janeiro, Cláudio...

‘Gabinete paralelo’, negociação com a Pfizer e atuação da Anvisa: os próximos passos da CPI da Covid-19

Quem acompanhou a primeira semana de depoimentos à CPI da Covid-19 pôde perceber que a prescrição de cloroquina, ivermectina e outros remédios comprovadamente ineficazes...

Após ser vacinado com a CoronaVac, Doria comemora: ‘O detalhe, de calça apertada’

Aos 63 anos, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi vacinado contra a Covid-19 em uma unidade pública de saúde em Pinheiros,...