domingo, junho 20, 2021
Home Política Bolsonaro discursa para motociclistas e reúne multidão no Rio de Janeiro

Bolsonaro discursa para motociclistas e reúne multidão no Rio de Janeiro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou na manhã deste domingo, 23, de uma carreata de motociclistas na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O presidente foi até a Avenida Salvador Allende, bem em frente ao Parque Olímpico, onde aconteceram as Olimpíadas de 2016, e conduzindo uma motocicleta, acompanhado de uma pessoa na garupa, puxou a carreata. Bolsonaro, assim como muitos manifestantes, não usava máscara de proteção. A “motociada”, que começou na Barra da Tijuca seguiu até o Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul, causou aglomeração na cidade. Ao fim do passeio, Bolsonaro discursou em um carro de som. Em seu pronunciamento, o presidente criticou mais uma vez as medidas de restrição decretadas pelos governadores para conter a propagação do coronavírus. “Sem qualquer comprovação científica, decretaram lockdown. Hoje, vocês já sabem o que é uma democracia e o que é uma tentativa, um início de uma ditadura patrocinada por esses governadores”, afirmou.

Bolsonaro ainda acrescentou que o “seu exército brasileiro” jamais irá para a rua fazer com que a população fique em casa. “O meu Exército Brasileiro, a nossa Polícia Militar e a nossa Polícia Rodoviária Federal. É obrigação nossa lutar por liberdade, democracia e realmente fazer com que o nosso país mude. Podem ter certeza, nós juramos dar a vida pela pátria. O nosso exército são vocês. Mais importante do que o poder Executivo, Legislativo e Judiciário é o povo brasileiro”, declarou. “Estamos prontos, se preciso for, para tomar todas as medidas necessárias para garantir a liberdade de vocês. Nós temos o sagrado direito de ir e vir. Temos o direito de trabalhar, temos o direito de professar a nossa fé, de ir às igrejas e nos encontrar com Deus. Esses direitos não podem ser usurpados”, acrescentou Bolsonaro. Durante a fala, os presentes comemoravam aos gritos de: “Eu autorizo”. “Não é ameaça, jamais ameaçarei qualquer poder. Mas, como eu disse, acima de nós, dos três poderes, está o primeiríssimo poder, que é o povo brasileiro. Nós fazemos tudo para que a vontade popular seja realmente efetivada.” Segundo ele, a manifestação fornece “oxigênio, responsabilidade e autoridade para poder agir” em nome do povo. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello estavam acompanhando o presidente.

- Advertisment -

Most Popular

Bolsonaro rebate seguidor sobre preço do gás: ‘Zeramos os impostos federais, você sabe de quem cobrar’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais neste domingo, 20, para responder a um seguidor que o questionava sobre a alta...

Ministro das Comunicações reclama de jornalistas, políticos e artistas ‘que torcem pelo vírus’

Fábio Faria, ministro das Comunicações do governo Bolsonaro, reclamou do tratamento dado às mortes por Covid-19 por parte do país. “Em breve, vocês verão...

CPI da Covid-19 se posiciona sobre meio milhão de mortos: ‘Vidas que poderiam ter sido poupadas’

O Brasil superou a marca de meio milhão de mortos em decorrência da Covid-19 neste sábado, 19. Segundo o Conselho Nacional de Secretários da...

Lula lamenta 500 mil mortes por Covid-19: ‘Isso tem nome e é genocídio’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi às redes sociais lamentar a marca de 500 mil mortes por Covid-19 no Brasil. O...